4 dicas para investir em renda fixa

4 dicas para investir em renda fixa

Quando se fala em um investimento estável e com segurança, não tem jeito. A melhor opção é a renda fixa, principalmente se não houver nenhuma reserva de emergência por parte do investidor. A renda fixa tem esse nome porque sua rentabilidade é previsível e, geralmente, fixada a um percentual mensal ou seguindo algum índice, como Selic, CDI, inflação ou outro. Mas, de fato, o mais comum é o CDI.

Quando investir em renda fixa?

O investimento em renda fixa é ideal se o investidor é, ainda, inexperiente. Pois a bolsa de valores, por exemplo, é muito arriscada para quem não tem o costume em investir. Além disso, a renda fixa garante segurança para quem deseja alçar voos mais altos e realizar investimentos com rentabilidade maior.  

A renda fixa pode ser emitida por instituições bancárias, por empresas ou pelo próprio governo e é uma categoria com vários tipos de aplicações, que variam de acordo com os objetivos, risco, emissor, rentabilidade, entre outras. Entre as mais comuns estão a Poupança, o Tesouro Direto, o CDB, LCI, LCA, Letra de Câmbio, CRI/CRA.

Esse tipo de renda funciona como se o investidor emprestasse seu dinheiro para o emissor e em troca ele recebe uma taxa de rentabilidade fixa definida previamente.

Vantagens

Os fundos de renda fixa têm diversas vantagens, entre elas a rentabilidade. Como se trata de um retorno estável e recorrente é ideal para quem deseja criar patrimônio ou tem a intenção de viver de renda. Outra vantagem é a segurança, já que a maioria deles possui a garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC), o que significa que não há risco de perder o dinheiro investido. A facilidade de adquirir esses fundos também é algo atrativo, já que podem ser negociados totalmente online. Além disso, não é necessário um acompanhamento diário.
Lembre-se de sempre se conhecer como investidor, entender seu perfil e apetite para investimentos. Em nossa plataforma tem um teste de suitability (perfil de investidor).
Fazendo seu pré-cadastro você já tem acesso ao teste.

Peak Invest - Dicas de investimento

Mas vamos às dicas:

Dica 1

Existem, na internet, simuladores que indicam qual a rentabilidade do investimento que você vai fazer em renda fixa. Em alguns deles, você pode comparar os tipos de investimentos e ver qual o que lhe dará mais retorno.  

Dica 2

Com a tendência da queda dos juros, os títulos prefixados vão se valorizar e ter retornos mais atrativos do que os títulos pós-fixados. Mas, se a taxa de juros subir, os títulos pós-fixados vão ser mais rentáveis.

Dica 3

De todos os investimentos em renda fixa, a Poupança parece ser o menos atrativo. O rendimento de 4,20% ao ano mal dá para cobrir as perdas com a inflação brasileira. O que definitivamente coloca a Poupança como um péssimo negócio para fazer o dinheiro crescer.

Dica 4

A grande sensação da renda fixa ultimamente é o Peer to Peer Lending.
O P2P é uma modalidade de investimento em que o investidor pode emprestar dinheiro para empresas e receber um retorno financeiro muito mais atrativo que as outras modalidades de renda fixa.
Funciona basicamente assim: as Fintechs, startups financeiras, disponibilizam em suas plataformas uma série de empresas que desejam receber dinheiro de empréstimo. O investidor entra na plataforma e escolhe as empresas para as quais fará o investimento.
No final, ele recebe em parcelas, com juros do dinheiro que investiu.
Lembrando que é sim um investimento de risco apesar de ser uma renda pré-fixada.
Saiba mais!

Uma forma inovadora de investir na renda fixa com maior rentabilidade.

Compartilhe esse post

Arquivos

Posts relacionados

Comentários