Como funciona o Rating de Risco na Peak?

O Retorno das empresas está diretamente ligado ao risco de crédito, portanto investir em empresas com ratings de risco variados ajuda a manter seu portfolio mais seguro.

Nosso modelo de precificação e limites de crédito foi desenvolvido “in house” utilizando todos os indicadores disponíveis, tais como: Bureaus de crédito, atividade em redes sociais, capacidade de geração de caixa, endividamento declarado e oficial (temos acesso ao endividamento oficial no Banco Central), mix de produtos do cliente, segmento de atuação, índices de satisfação de clientes e fornecedores, entre outros.

Segue abaixo nossa tabela de ratings atual:

TAXA ano TAXA mês:
A1 16,25% 1,26%
A2 18,20% 1,40%
A3 20,15% 1,54%
B1 23,40% 1,76%
B2 25,35% 1,90%
B3 27,30% 2,03%
B4 29,25% 2,16%
C1 32,50% 2,37%
C2 34,45% 2,50%
C3 36,40% 2,62%
C4 38,35% 2,74%
D1 41,60% 2,94%
D2 43,55% 3,06%
D3 45,43% 3,17%

No modelo de peer to peer o maior risco é a inadimplência, pois investimentos não são cobertos pelo FGC, por isso nossa análise de crédito é bastante criteriosa! Para mitigar o risco de inadimplência recomendamos que crie um portfólio com mais de uma empresa.

Sobre o retorno de seu investimento, a taxa é pré fixada, porém pode ser afetado pela inadimplência. Seu investimento é calculado através da tabela PRICE (PMT), onde você recebe pagamentos mensais compostos por: amortização do principal + juros – IR sobre os juros.

Compartilhe esse post

Arquivos

Posts relacionados

Comentários