3 dicas para organizar as suas finanças e começar a investir!

Embora a maioria esmagadora da população tenha o desejo de enriquecer, uma parcela ainda pequena consegue organizar as finanças e fazer aplicações no mercado financeiro. Por mais que você não ganhe um grande salário ou sua renda não seja tão alta, saiba que é possível controlar os gastos adotando algumas boas práticas de educação financeira e gerenciar seus rendimentos de forma mais estratégica e eficaz. Acompanhe os tópicos a seguir e veja nossas três dicas para começar investir e fazer seu dinheiro trabalhar para você.

Mesmo em momentos onde a crise causada pelo covid-19 traz diversas incertezas, o número de novos investidores só aumenta em todo o país. Existe um motivo para isso, muitos estão enxergando como oportunidade de começar. Mas a dica é clara, além de se planejar financeiramente, estude e aprenda sobre investimentos. Identifique seu perfil e comece o quanto antes, pois a frase “tempo é dinheiro” cabe muito bem no mundo dos investimentos.

Agora vamos tratar de alguns passos simples, mas que se seguidos à risca, podem render resultados transformadores em sua vida financeira e te ajudar a realizar os seus sonhos.

Peak Invest - Comece a investir

1. Controle suas dívidas

Antes de qualquer coisa, você precisa controlar suas dívidas, de modo que sobre dinheiro para você fazer aplicações nas melhores modalidades de investimento do mercado financeiro.

Essa ação implica colocar no papel (ou em uma planilha) todos os seus gastos e relacioná-los com seus rendimentos. É importante que haja superávit em seu orçamento, ou seja, que sobre um valor significativo após o pagamento de todas as dívidas.

Caso você esteja com déficit financeiro e, ao invés de sobrar, falte dinheiro para pagar as dívidas, obrigando-o a tomar recursos emprestados nos bancos, você precisa tomar algumas atitudes mais radicais e cortar ou não fazer dívidas que sufoquem seu orçamento.

É importante ter em mente que existem dívidas que são consideradas positivas, conforme as estratégias de educação financeira. Uma delas, por exemplo, é o financiamento de uma casa própria, nos casos em que os juros não são abusivos e as parcelas não impeçam você de fazer aplicações em carteiras de investimento. Isso seria para você não abandonar seus projetos de vida e sim se planejar.

No entanto, também existem aquelas que são bastante negativas, como as dívidas provenientes de cartão de crédito a juros abusivos, como pagar o mínimo do cartão de crédito, empréstimos consignados e limites de cheque especial.

Corte os gastos, quite essas dívidas e, depois que começar a sobrar dinheiro, será a hora de fazer um planejamento financeiro.

2. Faça um planejamento financeiro

A organização das finanças também demanda que você realize um planejamento financeiro eficiente e estratégico. Mas não adianta apenas planejar, é necessário colocar as ações em prática e ser disciplinado(a) para alcançar seus objetivos.

Em síntese, esse planejamento pode ser feito com alguns passos simples, como identificar os seus gastos essenciais, definir metas financeiras a médio e longo prazo e monitorar de perto os seus vencimentos.

Também é essencial fazer uma reserva financeira, pois imprevistos acontecem e você precisa estar preparado(a) para eles. Antes de pensar em investimento, é imprescindível construir essa reserva destinada a emergências. Dessa forma, você evita pegar empréstimos, mexer com cheque especial e tirar recursos das aplicações.

3. Seja um investidor de sucesso

Depois de controlar as suas dívidas, pagar os débitos negativos, fazer um planejamento financeiro e estabelecer as suas metas, a próxima etapa é adotar estratégias para se tornar um investidor de sucesso.

Investir é fundamental para fazer seu dinheiro trabalhar para você mesmo, multiplicar seus recursos e render seu capital financeiro. Existem muitas modalidades de investimentos no mercado. Cabe a você identificar seu perfil de investidor, sua capacidade e realidade econômica para escolher as opções mais vantajosas na sua visão.

Nessa perspectiva, é importante apostar na diversificação de carteiras de investimento, pois não vale a pena colocar os ovos em uma única cesta. Isso porque não é estratégico depositar todos os recursos em uma única modalidade. O primeiro passo para investir é o mais difícil, depois que entende e vê os resultados iniciais, passa a diversificar com sabedoria. Em um mundo digitalizado e com tanto acesso a informação, somente quem não quer aprender fica de fora.

Geralmente, os investidores começam através de Títulos do Tesouro Direto, Títulos Privados, Ações, Fundos de Investimentos entre outras modalidades.
Uma das opções inovadoras no mercado financeiro é o Peer to Peer Lending ou P2P Lending. É uma nova modalidade de investimento em crédito no Brasil, onde investidores emprestam seu dinheiro para as empresas e as empresas pagam de volta esse empréstimo acrescido de juros. Isso tudo com o intermédio de uma plataforma totalmente online. Os juros são muito atrativos e como qualquer investimento de alta rentabilidade, também existe riscos.

Mas, independentemente da modalidade de investimento, é importante iniciar a aplicar. Para tanto, é importante seguir à risca essas dicas para começar investir seu dinheiro e fazer ele trabalhar sozinho por você.

Peak Invest - Dica de investimento

Que tal saber tudo o que você ainda não sabe sobre o Peer to Peer Lending? Leia nosso outro post e enriqueça seus conhecimentos!


Compartilhe esse post

Arquivos

Posts relacionados

Comentários